segunda-feira, 11 de outubro de 2010

A Verdadeira Fúria!

Hoje apanhei uma fúria tão grande, mas tão grande que estive de mono um valente par de horas durante a tarde…A minha Mãe tentou acalmar-me e fazer-me perceber que não tinha acontecido nenhuma tragédia, (o meu Pai dava-me beijos em modo: acalma-te filhinha!) ao que eu lhe respondi que também tenho os meus defeitos, que lá por norma ser uma pessoa bem-disposta e fácil, não significa que não possa ter os meus ataques… Eu sei que não compreendem o meu drama, que não percebem a minha ansiedade, pressa e determinação, mas sou eu que tenho que ir para aquele sítio insuportável todos os dias!

Esta fúria faz com que nem sequer agora tenha
grande vontade de contar aqui umas coisas giras que antes tanto me apeteciam, talvez amanhã… que agora vou pegar em mim e transportar-me até à cama! Até amanhã!

4 comentários:

  1. Compreendo bem o que dizes. Nas últimas semanas do meu primeiro trabalho ia para lá tão contrariada, tão contrariada que se notava a olhos vistos. Por causa disso, senti-me compelida a mudar. E mudei sempre que não me sentia bem com isso. É preciso é ter paciência...

    ResponderEliminar
  2. Já percebi o drama, Verduxa!
    Como eu te compreendo...mas CALMA; não se tratou de uma tragédia (tal e qual como a tua Mãe te fez ver)*

    ResponderEliminar
  3. O pior é que as birras quando são despro+ositadas fazem-nos perder a total razão qu tínhamos/ temos na questão!...
    AS pena tem de ser proporcional à culpa!!! - Base do direito/ justiça...
    Vá lá, toma lá um bjo e juízo!

    ResponderEliminar
  4. Estou a ignorar completamente o que a Mm disse - ela sabe que eu tinha toda a razão do mundo!!!

    ResponderEliminar